Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

Goal Setting: combinando o jogo, ao invés do placar

Começo de dia de trabalho em um Goal Setting

Uma das forças das empresas investidas por fundos de private equity é a clareza absoluta das metas de longo prazo, combinadas e alinhadas entre acionistas/investidores e os gestores.

Entretanto, placar prometido não é jogo combinado. Muitos business plans são pouco mais do que uma planilha de Excel e um racional de porque a empresa está posicionada para crescer (perspectivas de mercado, pontos fortes da empresa etc.). Nada disso diz o que o management deve fazer para atingir as metas.

Como diz Roberto Civita, “resultado” quer dizer exatamente isso: o que resulta; o importante é o que se faz, para se chegar ao resultado.

Por essa razão, frequentemente o primeiro projeto que fazemos em uma portfolio company é aplicar um conjunto de workshops que transformam o business plan em um conjunto de ações com forte comprometimento dos gestores e acionistas. Chamamos esta metodologia de Goal Setting:

Goal Setting

O produto final do Goal Setting é um BP-to-Action Plan, que resulta em uma agenda executiva compartilhada pelos diretores, pelo CEO e pelos conselheiros, com objetivos, ações, prazos e responsáveis definidos e documentados: a “Agenda do Conselheiro”, a “Agenda do CEO” e a “Agenda do Diretor”.

Na Table Partners nós temos realizado Goal Settings para mais de uma dezena de empresas, incluindo portfolio companies como ESTRE Ambiental e BURGER KING, entre outras.

Veja como, após o Goal Setting, ajudamos portfolio companies a reduzir o RISCO DE SUAS METAS DE RECEITA

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...