Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

O nível de competitividade do Brasil em TI e Cloud Computing

Índice de Competitividade Global

O World Economic Forum agrupa os países em três categorias de nível de competitividade:

  • Fatores Básicos
  • Eficiência
  • Sofisticação e Inovação

Sendo um dos países mais populosos e caminhado para ser uma das 5 maiores economias do mundo, o Brasil encontra-se no 53o lugar do mundo em nível de competitividade no ranking 2011-2012, apesar da melhoria de 5 posições no ranking em relação ao ano anterior.

Vivemos uma situação paradoxal. Enquanto estamos relativamente bem posicionados em inovação ou sofisticação de negócios, que caracterizam países mais avançados, ocupamos uma posição deplorável em requisites básicos. Nossa infraestrutura é sofrível (aeroportos, portos, estradas), temos uma taxa de juros real entre as mais altas do mundo e, recentemente, com retorno da inflação, e níveis de indicadores em saúde e educação muito ruins.

Network Readiness Index (NRI)

Um dos pilares que pode contribuir para o aumento da competitividade dos países é o uso da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC).  Num outro ranking, o WEF mede a competitividade do país nesse setor com o Network Readiness Index. Nesse ranking, o Brasil ocupa o 61o lugar, com destaque positive para uso de TIC nos negócios, inovação e iniciativas de e-Gov, mas destaques negativos para indicadores no sistema educacional e o custo dos serviços.

Os principais components do NRI são:

  • Ambiente regulatório e de mercado, infra- estrutura existente (classificação 74o)
  • Aptidão tecnológica de negócios, dos indivíduos e do Governo (classificação 62o)
  • Nível de uso dos indivíduos, de negócios e do Governo (classificação 47o)

Cloud Computing

Recentemente, a Brasscom, a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, organizou um evento em Brasília para falar sobre Cloud Computing.

Cloud Computing compreende tanto as aplicações oferecidas como um serviço por meio da Internet como o hardware e os sistemas de software nos data centers que oferecem esse serviço. Cloud é uma grande tendência, pelo menos desde 2006, quando a Amazon lançou o service Elastic Cloud 2. Muitos dos serviços de tecnologia usados pelas pessoas e empresas hoje estão na nuvem e a tendência é que isso só se amplie.

Alguém usa o Google, gmail, Google Docs, Microsoft Azure, Dropbox, Facebook, Salesforce.com? Pois é. Provavelmente você está usando a nuvem sem nem perceber. Nosso site está na nuvem; nosso blog, e-mail e vários outros serviços que uso também estão lá.

A Brasscom reuniu especialistas nacionais e internacionais e convidou a Table Partners para falar sobre tendências do setor no mundo e gerar ideias sobre como aumentar a competitividade do Brasil para atrair investimentos em Cloud Computing.

O Brasil possui gastos em TIC abaixo da média mundial – 4,6% do PIB vs. 7,5% de média em outros países e 10% para países da OECD. Com uma infraestrutura limitada, um mercado de TI muito fragmentado e com poucas empresas com escala para atuação global, o desenvolvimento de Cloud poderia ser uma opção para aceleração do crescimento.

No evento, discutiram-se ideias que podem ajudar o Brasil a aproveitar mais esta janela de oportunidade. Veja aqui o material apresentado pela Table Partners.

 

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...