Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

A controvérsia sobre o aumento da dívida do Tesouro dos EUA

Os economistas e sociólogos são unânimes em apontar que um país só consegue se desenvolver a partir de um conjunto sólido de instituições. Isso explica porque nações como os EUA se tornaram a maior economia do mundo enquanto outras que eram promissoras como a Argentina e a Venezuela perderam a oportunidade de se tornar economias fortes e pular para o estágio de nações desenvolvidas.

Nos EUA, as instituições foram montadas para funcionar e para defender os interesses da população do mal que governantes incompetentes ou mal intencionados pudessem causar ao país.

Só pode ser uma piada

Nas últimas semanas, estamos assistindo a uma situação, que esperemos, seja apenas cômica. A maior economia do mundo, cujos títulos financeiros têm sido sempre classificados como de “risco zero”, pode não ter como honrar seus compromissos.

 

Enquanto isso, as pessoas se divertem com comentários fazendo piadas sobre a situação, como o artigo que lembra que a Apple Inc. tem mais dinheiro em caixa do que o Governo dos EUA “…porque gasta menos do que ganha…”, ou oferecendo soluções mágicas, como a sugestão de impressão de duas moedas “trilionárias” de platina.

Ninguém espera que isso aconteça, mas a mera possibilidade pode levar às agências de classificação de risco a rebaixar a classificação dos T-bills e a levar a um aumento indiscriminado das taxas de juros dos EUA em meio a uma tímida recuperação da crise financeira de 2008.

Os comportamentos dos políticos interessados na eleição presidencial de 2012 estão criando impasses a uma negociação que deveria ser meramente técnica. Nas nossas empresas, quantas vezes participamos de discussões que poderiam ser técnicas e que se tornam altamente improdutivas ou mascaradas por interesses individuais? Lembram da última vez que discutiram o orçamento do ano ou os bônus dos executivos? A revista Wired publicou recentemente um artigo ligando à incapacidade de Democratas e Republicados ao funcionamento do cérebro.

Para ilustrar o acompanhamento das notícias do fim de semana e colocar em perspectiva o tamanho do problema da dívida dos Estados Unidos, coloquei aqui alguns gráficos ilustrando o limite da dívida e a evolução do déficit do Tesouro. Não é um problema novo, nem insolúvel, nem que não tenha sido enfrentado antes. A últimas vez que o déficit americano superou 10% do PIB foi na II Guerra Mundial.

Contudo, as pressões sobre todos os governos do mundo, a crise financeira que levou à quebra do banco Lehman Brothers e a impossibilidade de governos de se financiarem (Grécia e os outros PIIGS) exige que se tomem medidas para conter o déficit imediatamente tanto aumentando impostos (ou reduzindo tax breaks) quanto reduzindo despesas (guerras, benefícios sociais, aumentando produtividade dos gastos).

O Tamanho do Déficit

Fonte: Office of Management and Budget - The White House

Fonte: Office of Management and Budget - The White House

Histórico do Déficit

Fonte: Office of Management and Budget - The White House

 

O Limite da Dívida

Fonte: US Treasury Department

 

 

 

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...