Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

Tem uma palavra para isso!

Uma imagem vale mais do que mil palavras, mas algumas palavras também sintetizam idéias que precisamos de frases inteiras para explicar.

Há até mesmo palavras e expressões que podem alterar a forma como entendemos e nos relacionamos com o mundo. Pense no quanto expressões como “espírito esportivo”, “know-how” ou “Murphy” moldam diariamente nosso comportamento ou pensamento – e quão complexo é explicá-las.

Pensando nisso, o jornalista e escritor americano Howard Rheingold compilou uma lista de cerca de 180 palavras ou expressões, de mais de quarenta idiomas, que não têm equivalente em inglês. “They Have a Word for It” não é uma obra acadêmica; é apenas um compêndio divertido de palavras e expressões interessantes, incomuns e que, às vezes, nos permitem ver uma parte do mundo por um ângulo diferente.

Já o consagrado autor inglês Douglas Adams foi mais longe: compilou um “Dictionary of Things There Aren’t Any Words for Yet − But There Ought to Be” (“Dicionário de Coisas Para as Quais Ainda Não Há Nenhuma Palavra − Mas Deveria Haver”). Apesar de totalmente humorístico, o “dicionário” de Adams nos faz realmente desejar palavras para classificar pessoas:

AINDERBY STEEPLE (n.)

     One who asks you a question with the apparent motive of wanting to hear
your answer, but who cuts short your opening sentence by leaning forward and
saying 'and I'll tell you  why I ask...'  and  then talking  solidly for the
next hour.

.

Ou situações e objetos:

WHASSET (n.)

     A  business  card in you wallet belonging  to someone whom you have no
recollection of meeting.

Uma nova seção

Inaugurando uma nova seção – mais ou menos regular – de palavras que podem nos proporcionar uma nova forma de ver situações comuns – “Tem uma palavra para isso!” – escolhemos um verbo japonês:

nemawashi (v.)

Sondar informalmente, buscando construir consenso.

Literalmente, nemawashi significa “amarrar raízes” – um termo originado na arte do bonsai.

A metáfora com o bonsai lembra-nos como a cuidadosa poda e reposicionamento das raízes (o sentimento das pessoas a respeito de uma decisão ou iniciativa) determina o futuro crescimento da árvore (a aceitação, suporte e, consequentemente, chances de sucesso da iniciativa).

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...