Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

O ponto de vista do outro

Quem assistiu ao filme Avatar deve ter observado que os personagens que “vestiam” os avatares — literalmente colocando-se no lugar dos “outros” — invariavelmente eram capazes de entender o ponto de vista dos “outros”, por mais que seu próprio ponto de vista original fosse indiferente ou mesmo hostil.

Uma receita para elevar o patamar de entendimento e a eficácia da relação entre acionistas e CEOs é exatamente essa: conhecer o ponto de vista do outro.

AVATAR

Eis aqui uma Leitura Que Funciona  para você — acionista ou executivo profissional — começar a fazer isso de maneira fácil e rápida.

Estranhos no Ninho

Em outro comentário sobre Leituras Que Funcionam, eu recomendei a coleção “Family Business Leadership Series“, de Craig Aronoff e John Ward, professores da Kellogg School of Management.

Dois dos livros (curtos e objetivos) dessa coleção endereçam o desafio da colaboração entre executivos profissionais e acionistas.

O primeiro deles — “More Than Family : Non-Family Executives in the Family Business” — aborda a questão, do ponto de vista do(s) acionista(s). O leitor acionista recebe ótimas recomendações e o leitor executivo pode começar a familiarizar-se com o ponto de vista do empreendedor ou do membro da família-empresária, ao longo de cerca de 60 páginas:

  • Introdução: uma colaboração que dá frutos
  • Uma relação delicada: acionistas e executivos profissionais
  • Conseguindo a combinação certa – como atrair e reter os melhores executivos para a sua empresa
  • Como trazer o executivo profissional para ser parte do time
  • Fazendo a transição para a próxima geração
  • O CEO profissional
  • Remuneração e premiação de executivos profissionais

O livreto até mesmo termina com uma “Carta aberta ao executivo profissional”, em que os autores oferecem cerca de 20 recomendações e observações, baseadas em sua experiência com algumas centenas de empresas familiares, em vários países. Eis algumas dessas observações:

  • Todas as empresas familiares têm “problemas familiares”
  • Leve com seriedade o seu papel de educador do acionista
  • Evite a tendência do acionista de reunir-se separadamente com os executivos, transformando o grupo de liderança em um time coeso
  • Utilize a cultura e os valores pelos quais a empresa foi criada como uma força/alavanca estratégica

Nem melhor, nem pior, mas certamente muito diferente

O outro livreto — “Working for a Family Business: A Non-Family Employee’s Guide to Success” — aborda a questão, do ponto de vista oposto: do executivo profissional que trabalha em uma empresa controlada por um empreendedor ou uma família empresária.

Um pouco mais longo (pouco mais de 70 páginas) este livreto cobre 11 temas:

  • Seu papel numa parceria especial
  • O que torna um negócio familar único
  • O valor da “família”, para o negócio familiar
  • Quando ocorre conflito (e conflitos vão ocorrer!)
  • Passagem Difícil 1: do fundador para seus filhos e filhas
  • Passagem Difícil 2: do controle de irmãos para os primos da próxima geração
  • Entendendo o negócio em que a família vem em primeiro lugar
  • Empresas em que os negócios vêm em primeiro lugar são realmente melhores?
  • Quando uma crise se aproxima
  • Entendendo melhor o ambiente em que você está
  • O profissional empowered: maximizando seu sucesso

Em um mundo em que nossas sociedades não se desenvolverão e terão mais bem-estar, sem o sucesso de organizações familiares, todos nós — acionistas e executivos profissionais — faremos um grande serviço a nossos filhos e netos, se aprendermos como trabalhar bem e eficazmente, uns com os outros.

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...