Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

O líder na prática

Chegou a hora de liderar em time.

Sua diretoria está reunida ao redor da mesa. A reunião vai começar.

O que você, líder, faz?

Siga a seguinte sequência de passos.

(Não se iluda: os primeiros parecem triviais, mas são raríssimos os líderes que conseguem executar corretamente toda a sequência.)

.

1. Ouça propostas de discussão

Você ou alguém do time propõe um tema para discussão e decisão.

O que você, líder, faz?

Seja organizado, cobrando e dando o exemplo de toda reunião ter uma pauta de assuntos, de preferência distribuída a todos na ocasião do agendamento. Siga a agenda e os temas para discussão aparecerão naturalmente.

Seja guardião da ordem da reunião: não deixe um tema atropelar o anterior; feche cada tema, antes de abrir o seguinte.

.

2. Decida se a proposta é válida

Nem todo assunto lançado à mesa é relevante ou adequado para aquele fórum ou aquele momento da pauta.

O que você, líder, faz?

Enderece explicitamente se o tema proposto é válido – pertinente e relevante – e se é o momento de discuti-lo. Se não for, reoriente a proposta para outro fórum ou para o momento adequado da reunião (“Eu acho que esse é um tema para discutirmos quando falarmos de vendas. Você concorda?”)

.

3. ‘Frame‘ o assunto

Nem sempre é óbvio, para todos, como um assunto se encaixa na pauta da reunião ou mesmo na atividade de liderança do time. Em nome da clareza e qualidade a discussão, o líder ou alguém deve frame cada tema que vai se discutir.

O que você, líder, faz?

 

Conceitue e coloque o assunto em contexto – do time, do negócio, de outra decisão discutida recentemente etc. (“Eu acho importante discutirmos o pedido de demissão desse gerente, porque me parece possível que estejamos pouco competitivos, nessa faixa de carreira, em relação ao mercado.”)

.

4. Solicite contribuições de todos

Na liderança em time ninguém deve deixar de assumir uma posição sobre cada tema discutido.

O que você, líder, faz?

Dê abertura à discussão, por exemplo pedindo ao proponente do tema para expor seu ponto de vista e o que acha que deveria ser feito/decidido a respeito. Exija que todos se posicionem sobre o tema.

Procure se manter neutro ou se posicione levemente, para não inibir o debate. Se você se posicionar muito fortemente, alguns membros do time podem achar que não vale a pena expressar dúvidas ou defender posições contrárias.

.

5. Promova e facilite o conflito, mesmo acalorado, de idéias

Em times de liderança de alta performance, membros do time, com opiniões contrárias, debatem, refutam e buscam melhores argumentos. O restante do grupo ajuda a controlar a “temperatura” do conflito (por exemplo, promovendo momentos de “alívio cômico”) sem, contudo, interromper ou atrapalhar a qualidade e força do debate.

O que você, líder, faz?

Se membros do time conflitarem, permita!

Apenas administre, junto como os demais membros do time, a intensidade do conflito, para que as relações pessoais não se comprometam.

Periodicamente, interrompa os debatedores para pedir opinião dos que estão fora do debate.

Ouça e acompanhe o conflito e as demais opiniões com toda atenção. Deixe sua opinião e seu entendimento sobre o assunto irem se formando à luz dos argumentos que vão sendo apresentados.

.

 

6. Feche o debate

O time chegou a um consenso? Ótimo!

Caso contrário, quando todas as opiniões tiverem sido ouvidas e os argumentos começarem a se repetir, é hora de decidir.

O que você, líder, faz?

Comece a encerrar o debate, tomando a palavra e sintetizando os argumentos que foram apresentados. Recapitule ressalvas, aprendizados/conclusões e “sub-decisões” que tenham sido consensadas, a despeito da falta de consenso sobre o tema principal.

.

7. Comunique a decisão

Quando o time não consegue um consenso, o líder exerce seu papel de viabilizador da liderança em equipe, assumindo a responsabilidade pela decisão.

O que você, líder, faz?

Caso o grupo tenha chegado a um consenso, enderece isso e verbalize – isto é, oficialize – a decisão consensada.

Caso o grupo não tenha conseguido chegar a consenso, apresente os argumentos que justificam sua decisão e comunique-a ao grupo.

.

8. Organize as consequências da decisão

 

Toda decisão tem alguma conseqência, caso contrário por que ela seria necessária? O líder dá concretude à decisão, iniciando ações e alocando responsabilidades, de imediato.

O que você, líder, faz?

Mova adiante, verbalizando ou convidando a pensar nas implicações práticas da decisão: o que precisa ser feito para implementá-la, quem deve ser responsável pelo que, que prazos precisam agora ser cumpridos, etc.

Explicite, verbalmente, a alocação de tarefas aos presentes. Combine prazos.

Explicite requisitos de comunicação: quem deve comunicar o que a quem; usando que meios (ex.: pessoalmente? por e-mail?); em que prazos; que cuidados especiais devem ser tomados (ex.: no tom de uma comunicação para a organização), etc.

Tome notas, para guardar a memória do que foi combinado e para poder fazer follow-ups e cobranças posteriormente, caso necessário.

.

 

9. Realize o combinado

Nos dias que se seguem, cada um deve fazer sua parte nas ações e comunicação, conforme foi combinado. O exemplo do líder é essencial.

O que você, líder, faz (e não faz)?

Faça sua parte das tarefas alocadas, no prazo e conforme combinado.

Cheque informalmente o andamento das tarefas dos demais, especialmente as críticas. Corrija distorções e ajustes indesejados.

NÃO realize ou permita mudanças importantes em relação ao combinado, sem que isso seja levado ao time para discussão. Nem mesmo o líder pode “mudar de idéia” ou “achar melhor fazer de outro jeito”, depois que saiu da mesa. Cabe ao líder dar o exemplo de accountability para o restante do time.

.

 

10. Promova cobrança (mas, se necessário, cobre)

Muitas vezes alguns combinados não são cumpridos, por um ou outro membro da equipe. Em times de liderança eficazes os próprios membros cobram seus pares pelo que foi combinado. A preocupação de não deixar os colegas de time “na mão” é um motivador muito mais forte do que a “cobrança do chefe”.

O que você, líder, faz?

Se os próprios membros não fizerem isso enderece, na presença do grupo, problemas de atraso e desvio, cobrando os compromissos assumidos.

Deixe claro (mais uma vez) ao time que você espera que eles mesmos façam esse papel de cobrança mútua.

.

Você se sente capaz de fazer tudo isso, ao liderar seu time? (Se você estiver pensando “eu já faço”, é melhor reler com atenção aos detalhes – são eles que fazem toda a diferença).

Você consegue imaginar seu time funcionando sob essas regras e essa mecânica? Como você acredita que ele desempenharia, em comparação ao desempenho atual?

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...