Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

Minha vida com a Amazon, A.K. e D.K. – Antes do Kindle e Depois do Kindle

Ontem – 20 de janeiro de 2010 – eu completei meu primeiro mês como usuário do Kindle Internacional.

Meu primeiro Kindle não recebia o conteúdo pela Web, mas foi rapidamente “sequestrado” pela minha filha e nunca mais o vi.

A venda de conteúdo digital obriga a Amazon a controlar tudo o que vende a cada cliente. Como eles não brincam em serviço, aproveitaram e colocaram TODAS as nossas compras num fantástico programa que permite, entre muitas outras coisas, vender qualquer livro que tenhamos comprado na Amazon.

Usando esse programa, eu pude fazer um levantamento da “Minha Vida Com a Amazon”. Eu separei minha “biografia” de cliente em dois períodos: A.K. – Antes do Kindle; e D.K. – Depois do Kindle.

A.K.

Desde minha primeira compra, em 30-março/1998 — ou seja, 11 anos e 8 meses atrás — eu comprei, no período A.K.:

  • 2.045 livros, gastando US$ 44.990 (sem o – caríssimo! – frete)
  • 299 CDs, VHSs, DVDs, games etc., gastando US$ 5.338
  • 12 conteúdos downloadable, gastando US$ 221

Isso dá um total de US$ 50.549.

Com o frete, eu diria que, nesses quase 12 anos, eu gastei cerca de US$ 75.500 — ou US$ 539/mês; US$ 17,63/dia — com Dona Amazon.

Kindle

D.K.

É claro que uma estatística desses primeiros 30 dias de uso do Kindle não tem nenhuma significância, mas alguns padrões de mudança já surgem claramente:

  • Enquanto eu comprei em média 15 livros por mês, no período A.K., nesse mês eu comprei apenas um livro (How The Mighty Fall do Jim Collins, cujo editor ainda não disponibilizou em formato digital – grrr!)
  • Em compensação, eu adquiri 10 livros em formato digital, no Kindle
  • Devido à guerra entre a Amazon e os editores de livros, o preço médio que paguei pelos e-books não foi tão mais baixo assim – US$7,83 por livro – do que o livro de papel que comprei  – US$14. Só que eu ainda paguei US$ 12,50 de frete e ainda vou ter que esperar semanas até o livro chegar!
  • A “tentação” provocada pela conveniência do Kindle – receber jornais e revistas diretamente no aparelho, durante a noite – me fez assinar dois jornais e 8 revistas, o que vai gerar uma receita recorrente, para a Amazon, de US$ 82 por mês. Isso também eleva minha compra média, de 17 ítens por mês, no período A.K., para 21 ítens, no “período” D.K.

Apesar desse aumento no número de ítens consumidos, no final das contas eu gastei, nesse primeiro mês, cerca de US$ 265 — bem menos do que os US$ 539 históricos.

Mantido esse padrão, eu economizarei, com o Kindle, cerca de US$ 274 por mês — mais do que o preço do aparelho (US$ 259).

Se a Amazon vencer a guerra contra os editores, o preço do livro digital deverá cair ainda mais.

Mesmo aos preços atuais, contudo, para um heavy-user como eu o aparelho, com frete e imposto, se paga em menos de três meses.

Viva o mundo D.K.!

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...