Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

É Época para Casamentos, Desde Que Você Esteja em E-commerce

Nos últimos dias, uma série de aquisições tem movimentado o mundo do e-commerce.

Aquisições, especialmente na Internet, tendem a acontecer em ondas. Já passaram as ondas dos portais, das ferramentas de busca, das empresas de e-mail, dos provedores de acesso discado, fornecedores de mapas e sistemas de navegação, vídeo. Agora, estamos vivendo a onda da busca por supremacia nas redes sociais.

Os movimentos mais recentes do Google no Groupon, da Amazon no LivingSocial e do eBay no Milo aliam redes sociais com o mercado de anúncios locais, uma área com grande potencial de crescimento não só pela relevância para as pessoas quanto pela dificuldade histórica de se monetizar esse tão sonhado mercado de anúncios locais.

Site: Groupon – Vendas Coletivas

  • Comprador (provável): Google
  • Idade: 2 anos
  • Receita em 2010: US$500 milhões (estimada)
  • Preço: US$ 5-6 bilhões (estimado)

Site: Milo – Engine de Busca para Preços Locais

  • Comprador: eBay
  • Idade: start-up, que havia levantado $5 milhões em funding
  • Alcance: 3 milhões de SKUs em 52 mil lojas nos EUA
  • Preço: US$ 75 milhões (estimado)

Site: LivingSocial – Site de Coupons Diários

  • Investidor principal: Amazon.com
  • Idade: start-up, que havia levantado $5 milhões em funding
  • Receita 2011: US$ 500 milhões (estimada)
  • Round: US$ 183 milhões ($175 mi da Amazon)

Não custa lembrar que a Amazon comprou neste ano a Quidsi (dona das category killers Diapers.com e Soap.com) por $545 milhões, além dos sites de e-commerce Woot.com e BuyVIP.com e da loja de música Amie Street.

O Que Mudou?

Pessoalmente, vi várias ideias de guias com conteúdo local morrerem na praia nos primórdios da Internet.

Apesar do altíssimo interesse das pessoas por conteúdo local, o volume de pessoas interessado em um item específico do conteúdo local tem que ser, por definição, pequeno. As pessoas querem informação sobre um restaurante próximo, lojas na redondeza de onde estão, clínicas, outros serviços. Para se ter sucesso, é preciso quantidade enorme de informação atualizada sobre os serviços locais e pessoas procurando por esses serviços. Só com muito tráfego é possível ter alguma receita relevante (seja de publicidade, seja de transações).

Capturar informações locais era um esforço hercúleo antes das redes sociais, só possível para editores de guias offline. Esses, contudo, não dispunham de ferramentas ágeis de atualização e poucos conseguiram monetizar a informação. Contratar um exército de pessoas para capturar informação sempre foi inviável. Com uma pequena equipe, era impossível ter uma quantidade relevante de dados.

Surgem as redes sociais. O que era praticamente impossível, torna-se viável. A captura de informações é mais ágil, uma vez que se podem contar com o user generated content para ampliar rapidamente o leque de informações e mantê-las sempre atualizadas. Mas também surgem modelos de captura de receita em micro-transações, permitindo que pequenas empresas (um restaurante ou uma loja de bairro) invistam em marketing.

Os Próximos Movimentos

Já se especula sobre quem serão os próximos alvos. Entre eles estão Local.com, Tippr.com, Buywithme.com. Vamos acompanhar.

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...
  • Michel Hannas

    Para mim, a melhor das compras da Amazon foi a do site sobre filmes IMDB.com.