Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

Às voltas com seus problemas, algumas organizações acabam se isolando

Aprenda com isso e não hesite em identificar oportunidades para troca de conhecimento.

As empresas multinacionais possuem muitas vantagens comparativas. Ao longo dos anos, acumularam enormes quantidades de conhecimento, permitindo às subsidiárias se aproveitar das melhores práticas de uma maneira que as empresas menores podem apenas sonhar. Também usam sua presença global para capturar informações sobre o que os competidores estão fazendo em outras partes do mundo que possam afetar os resultados nos seus principais mercados.

Em meio a uma forte tempestade de neve, que paralisou o Nordeste dos EUA, a TABLE PARTNERS falou com o carioca Professor Felipe Monteiro da Universidade de Wharton, para entender por que o processo de difusão de conhecimento não é tão eficiente como deveria e o que isso implica para os líderes das empresas. Monteiro pesquisa as práticas de gestão que melhoram a aplicação do conhecimento, nas organizações, e recentemente concluiu um estudo global sobre esse tema.

A primeira descoberta do estudo foi que várias subsidiárias das multinacionais não participam recebendo nem enviando conhecimento para o resto da organização — são “isoladas”.

A segunda descoberta foi que, por não transferir conhecimento, essas subsidiárias sofrem um custo adicional referido como liability of isolation — “passivo do isolamento”.

A terceira descoberta se refere às razões porque isso acontece. Há dois mecanismos que se realimentam:

  • Quando troca conhecimento, você acaba conhecendo melhor as suas subsidiárias, cria melhores canais de comunicação e tem um desempenho melhor. Quando não troca conhecimento, você deixa de aproveitar a oportunidade para melhoria do desempenho e acaba perpetuando esse desempenho pior.
  • Quando você está mal, costuma envolver-se tanto com os seus problemas, que não consegue buscar ajuda. Além disso, o seu fraco desempenho espanta as pessoas que querem conhecimento da sua subsidiária e ninguém dialoga para oferecer ajuda.

Lições para o executivo de multinacionais

Se você é um dirigente de uma multinacional na América Latina, a aplicação do artigo é imediata. Aqui vão algumas reflexões:

  • Será que os efeitos da crise e o dia-a-dia da operação não estão impedindo que você troque conhecimento com a matriz e com outras subsidiárias da sua empresa?
  • Como é o desempenho relativo da sua subsidiária?
  • Há, em alguma outra região, lições de aprendizado que podem levar a soluções de seus problemas mais rapidamente, ou que ofereçam novas oportunidades de crescimento?
  • Como estão percebendo o seu desempenho na matriz?
  • O que você poderia fazer para melhorar a percepção sobre seu desempenho e incrementar a troca de informações?

Lições para todos nós

Se não está em uma multinacional, ou o escopo do seu trabalho envolve uma divisão da sua empresa ou uma região de vendas, talvez haja uma analogia entre as “subsidiárias isoladas” e as “divisões isoladas”.

Na opinião do Prof. Monteiro, esse padrão de comportamento certamente acontece dentro de equipes dentro da mesma empresa, dentro do mesmo país e da mesma cidade.

Quanto mais as partes da sua organização se afastam, umas das outras, menor a troca de conhecimento e de soluções. E isso tende a acontecer mais em momentos de crise — justamente quando esse conhecimento é mais importante.

.

Para saber mais:

Leia os artigos do Prof. Monteiro:

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...