Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

As 4 Razões para o Google comprar o Groupon

Não é a primeira e, talvez, não seja a última vez que se fala em aquisição do site de compra coletivas Groupon. Vários players, incluindo o Yahoo!, já demonstraram interesse pelo Groupon, com ofertas recusadas de $1 a $2 billhões de dólares.

Nas últimas semanas, vários rumores (The New York Times, The Huffington Post, DealBook, Ad Age.com, só para citar alguns) surgiram sobre uma aquisição do Groupon pelo Google. Segundo o All Things Digital, nenhum dos dois comenta oficialmente. Para o Google, que já explicitou o desejo de fazer pelo menos uma grande aquisição por mês, isso seria um trabalho em tempo integral.

Segundo a Bloomberg, a transação seria superior a $3 bilhões. The Street.com fala em $6 bi, o que seria a maior aquisição do Google, quase o dobro do que foi a do Doubleclick por $3,1 bi. Isso, para uma empresa com pouco mais de 2 anos e $500 milhões de receita anual.

O que é o Groupon

O Groupon é o mais conhecido site de compras coletivas. Empresas, normalmente pequenos negócios como um restaurante, colocam no site uma oferta de desconto, por exemplo, de 50% para um jantar para duas pessoas, e desde que haja um mínimo de pessoas que aceitem a oferta até o prazo final de 24h, todos que se cadastraram têm direito a usufruir dela. Caso o número mínimo não seja atingido, a oferta é cancelada. O modelo de negócio é ideal para a Internet na era do Web 2.0, uma vez que interessados na oferta a sugerem para amigos ou membros de suas redes sociais até que se atinja o mínimo necessário, dando um impulso ao marketing viral.

Compras Coletivas no Brasil

No Brasil há alguns sites que replicam o conceito, como o Clube Urbano (do próprio Groupon), Peixe Urbano ou o lançado recentemente Bananarama.

O que o Google viu no Groupon

Como a TABLE PARTNERS previu em 2008 no artigo Até Onde Crescerá a Publicidade Online, havia um limite para o crescimento estratosférico do negócio tradicional do Google de anúncios na ferramenta de busca. Como não temos nem queremos ter monopólio da informação, o Google percebeu isso também e partiu para a explícita estratégia de aquisições em busca de modelos de negócio complementares ou novos, entre eles vídeos e anúncios em celulares.

O mercado local de anúncios nos Estados Unidos é de $133 bilhões de dólares, 10% dos quais é gasto em anúncios online, muito disso no Google. Contudo, analistas projetam uma queda no gasto com search, a maior fonte de receita do Google, em troca de gastos em  promoções e coupons por e-mail, formato consolidado pelo Groupon.

Para o Google, o Groupon traz quatro benefícios de imediato:

  • uma fonte de receita distinta de search
  • maior acesso a anunciantes locais
  • mais informação sobre preços e hábitos de compra
  • base de 25 milhões de usuários e emails em 30 países

E o Google sabe como “monetizar” isso.

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...
  • Pingback: É Época para Casamentos, Desde Que Você Esteja em E-commerce — Table Partners()

  • Michel Hannas

    Aparentemente, não foi desta vez que compraram o Groupon. O que eu deixei de colocar foram as razões para o Groupon aceitar a oferta de $6 bilhões de dólares do Google. Analistas mencionam que o Groupon esteja faturando $2 bilhões valores anualizados, ou seja, a oferta seria de apenas um múltiplo de 3 vezes a receita. Parece pouco. Mas será que o Groupon consegue evitar a competição de copy cats, manter a taxa de crescimento e gerar mais valor para seus acionistas?