Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

A César o que é de César

Já que para um líder é absolutamente necessário delegar, analiso como não se deve delegar em minha área de especialidade: apresentações.

Reparo que, salvo as honrosas exceções, quanto mais alto o nível hierárquico do profissional, mais se delega a preparação de apresentações. Definamos “preparar apresentações” como decidir o local onde será o evento, preparar o material de suporte (data show, flip chart, canetas que escrevam em flip charts, etc.), cuidar da logística (coffee break, cadeiras, mesas, vallet park, etc.) e preparar um arquivo de PowerPoint que apoiará o apresentador. Concentremo-nos no último item: o PowerPoint.

Delega-se a preparação do arquivo de PowerPoint para uma pessoa específica que, para facilitar, chamaremos de César.

Imagine que chegue a César um pedido de preparar uma apresentação que o Presidente da empresa deverá fazer, sobre sustentabilidade. Por “preparar uma apresentação” entenda-se “fazer um arquivo de PowerPoint”. Ao fazer esta redução, despreza-se a abordagem que será dada à apresentação e, como se verá a seguir, não se treinará o apresentador. Dito isto, vamos àquilo que o César não sabe.

O que César não sabe

César não sabe – porque não lhe contaram e porque ele nunca se deu conta da importância de saber – quem será o público da palestra. Se for o Green Peace será uma apresentação. Se for a comunidade em torno da fábrica da empresa, será outra muito diferente. Mas César não sabe.

César talvez saiba, mas não leva em conta, o estilo de apresentador do Presidente da empresa. Por exemplo, se ele é prolixo ou comedido. Em geral, César sequer sabe onde será a apresentação, quantas pessoas estarão presentes e de quanto tempo será a apresentação.

César começa a coletar dados na internet e em outros arquivos de PowerPoint sobre sustentabilidade: emissões de CO2, áreas de desmatamento, aumento da população mundial, Kyoto, Marina Silva, SOS Mata Atlântica… Na véspera da data limite, César produziu 54 slides e envia para a secretária do Presidente.

Se o chefe tiver tempo de analisar os slides, pedirá mudanças. Dependendo do estilo do chefe, é muita coisa. Lembre-se: é a primeira vez em que o apresentador vê o arquivo de PowerPoint. César passará a noite em claro e fará as alterações. Caso contrário, ou seja, o Presidente não teve tempo de abrir o arquivo, César irá para casa, mas dificilmente conseguirá dormir.

Enquanto isso, o mais importante…

O trabalho de César não revelou o mais importante: qual é a visão do Presidente sobre sustentabilidade.

Mesmo que o Presidente a revele em seu discurso, dificilmente o público perceberá. Isto porque os slides que César preparou não observam nenhuma técnica de narrativa. Refiro-me àqueles truques utilizados em literatura ou em roteiros de cinema para manter o público interessado no assunto e, por isto, prestar atenção no que está sendo revelado. César simplesmente jogou conteúdo em slides.

César vai ser injustamente crucificado pela constatação de que a apresentação foi um fiasco. Culpar César é o mesmo que não solucionar o problema, tanto da empresa que continuará a fazer péssimas apresentações, quanto de César que seguirá trabalhando como um mouro e será apontado como o culpado das péssimas apresentações.

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...