Table Partners

Consultoria de estratégia e liderança

O caminho menos percorrido

Two roads diverged in a wood, and I—
I took the one less traveled by,
And that has made all the difference.

Robert Frost

Como consultores nós, da TABLE PARTNERS, costumamos cobrar insistentemente, de nossos clientes, que pautem e priorizem suas iniciativas de acordo com as necessidades do mercado. “Orientar a organização ao cliente” é quase um mantra, para todo consultor de gestão que se preze.

Entretanto…

Outro dia, entrevistando um candidato a diretor da empresa, eu me vi repetidamente tendo que responder perguntas como: por que focarmos a oferta de busca de executivos em posições de topo, se o mercado de middle-management está bem mais aquecido? Por que não baixar o preço, eliminando as atividades de desenvolvimento de liderança, tanto dos projetos de executive search como de consultoria realizando, assim, mais vendas? Ao invés de difundir a disciplina de times eficazes, entre profissionais de RH, não seria mais vantajoso alocar esse investimento em projetos de marketing e RP?

Depois de responder a duas ou três dessas perguntas, fui obrigado a reconhecer uma realidade sobre a TABLE PARTNERS: nós não somos uma empresa market-driven. Nossas ações não são orientadas por demandas e oportunidades de mercado. A TABLE é uma empresa mission-driven. Nossas ações são orientadas pelo que nos ajudará a realizar melhor nossa missão.

A Missão de propagação de uma idéia

É claro que nossa missão é, ela mesma, orientada ao cliente:  “Difundir a disciplina de times de gestão eficazes, trabalhando com acionistas, Conselhos e CEO’s, no desenvolvimento de suas equipes de direção, capacitando-as a enfrentar a escala e a complexidade dos desafios das grandes organizações do século 21”.

Mas é perfeitamente possível que, a cada momento, esses acionistas, Conselhos e CEO’s estejam mais propensos a contratar outros serviços, não orientados à eficácia do time de gestão. Podem, por exemplo, preferir preencher uma vaga de diretoria, sem gastar tempo analisando como cada candidato afetará seu funcionamento, como time.

Por ser uma disciplina nova, o funcionamento de diretorias em times eficazes estará, durante muitos anos, mais frequentemente fora do que dentro, do radar da maioria dos acionistas, Conselhos e CEO’s. Se não fosse assim, a missão da TABLE PARTNERS já não seria necessária!

Entretanto, na nossa visão, quanto mais tempo as grandes organizações passarem, desprovidas da disciplina de times eficazes, maior será o custo social de sua ineficácia – na forma de prejuizos desnecessários, desemprego, fluxo negativo de capitais, etc.

Portanto, apesar de caminhos mais rápidos de crescimento poderem se apresentar à TABLE PARTNERS, nós continuaremos escolhendo seguir o caminho menos percorrido, acreditando que, no final, essa escolha fará toda a diferença!

Vote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigoVote neste artigo
Loading...